O possível cenário para o consumo do varejo infantil em 2017

por Inteligência Dgbz

Publicado em 06 de Janeiro de 2017

O possível cenário para o consumo do varejo infantil em 2017

06 de Janeiro de 2017

 

A DGBZ obteve dados, dos últimos três anos, sobre o interesse online no Brasil na categoria “brinquedos" no Google. E notou que existe uma tendência anual com quatro picos de interesse ao longo do ano que coincidem com algumas das principais datas de consumo do calendário de marketing: férias de julho, dia das crianças, Black Friday e Natal.

O gráfico demonstra o interesse online na categoria brinquedos no Brasil, onde os valores não representam o volume de pesquisas relacionadas, mas o interesse baseado no mês que apresentou maior volume de busca. Para tal mês foi determinado o valor de "100”, assim, os outros valores foram determinados em relação a ele.

O primeiro pico de interesse anual se dá a partir da segunda semana de julho, que apesar de ser o menos expressivos dos picos apontam para oportunidade de explorar comunicações relacionadas ao entretenimento de crianças durante as férias escolares. Com um média de 72,6 pontos o período marca o início do crescimento do interesse em brinquedos, que acontece no segundo semestre dos anos analisados.

A partir da segunda quinzena de setembro inicia-se um crescimento acentuado de interesse em decorrência do Dia das Crianças, que se destacam como a principal data para o consumo de brinquedos. Ao longo dos três anos analisados, o interesse na categoria “brinquedos" atingiu o ponto mais alto do gráfico durante os períodos correspondentes ao Dia das Crianças de 2015 e 2016.

Já o terceiro pico acontece na semana de Black Friday, no entanto, ao contrário da maioria dos setores varejistas, que nos últimos 3 anos apresentaram aumento de interesse no período, o setor de brinquedos está sofrendo retração. Provavelmente a proximidade com outras datas mais tradicionais para o setor, associada a crise econômica dos últimos anos, fizeram que a data em 2016 tenha sido a pior no período analisado.

O mesmo aconteceu com o período relativo ao Natal de 2016. Apesar de ter apresentado maior marca na semana anterior o Natal, em relação aos outros anos, a média ao longo de todo o mês de dezembro de 2016 foi a menor entre todos os três anos analisados. Nota-se que o pico é mais acentuado que nos outros anos, indicando tanto o menor interesse como a possibilidade de buscas de última hora por presentes, que podem ter ocorrido devido a expectativa de baixa de preços e promoção na semana mais próxima a data.

Para 2017, o crescimento do interesse no consumo deve-se manter nos patamares de 2016, levando as marcas do setor a investirem de forma inteligente, pois, o consumo não deverá aumentar, e é necessária estratégia de marketing voltada em superar a concorrência na conquista dos consumidores que estarão interessados.

 

 

 

Quer alavancar suas vendas?

Deixe seu contato e conheça a metodologia inovadora da primeira aceleradora de vendas do mercado imobiliário.

Quer receber conteúdo exclusivo direto no seu e-mail?